trupe à grega estreia O Dragão Dourado no Teatro Alfredo Mesquita

Que barreiras existem em nossa comunicação com o outro? Questões como esta norteiam a criação de O Dragão Dourado, da trupe à grega. Com dramaturgia premiada mundialmente de Roland Schimmelpfennig, a peça é uma tragicomédia que discute a exclusão a partir do recorte da comunicação como fronteira basilar em relações de poder. Dagoberto Feliz dirige um elenco composto por cinco atores ouvintes e uma atriz surda para falar sobre a invisibilização social.

A história se passa no térreo de um prédio residencial, destacando a minúscula cozinha do restaurante O Dragão Dourado, que serve comida asiática. Os cozinheiros tentam ajudar um novato com dor de dente, enquanto duas aeromoças sentam-se na frente do restaurante. No andar de cima, um casal à beira da separação vive em um apartamento de quatro cômodos, enquanto um velho observa o pôr-do-sol desejando ser jovem novamente. Dois jovens apaixonados enfrentam uma possível catástrofe iminente. Enquanto isso, o dono do mercadinho vizinho ao restaurante faz um pedido picante para viagem. A trama promete ser repleta de reviravoltas e interligações entre os personagens.

O elenco traz Alice Guêga, Dani Theller, Juliano Veríssimo, Ian Noppeney, Luiza Magalhães e Sueli Ramalho.

Antes de cada sessão, o grupo ainda exibe o curta-metragem “O Dente da Frente”, dirigido por Gabi Jacob, gravado em 2021, que mostra os bastidores dos primeiros dias de ensaio desta peça.

O Dragão Dourado + curta O Dente da Frente

Teatro Alfredo Mesquita
Av. Santos Dumont, 1770, Santana
28 de julho a 20 de agosto
Às sextas e aos sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h
Ingressos: Gratuitos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *